domingo, 5 de junho de 2011

Ser divorciada

O que fazer quando se tem tanta liberdade? Nos fins de semana em que os meninos não estão comigo, o que fazer para não mergulhar na melancolia? Meu som já toca Paula Fernandes instantaneamente quando chego em casa, rs; minha amiga apelidou carinhosamente de PauLAMA Fernandes, rs...


Essa é a minha questão. Por um lado é bom ter esse tempo, por outro vem a ausência do costume de se ter uma família margarina. O caminho mais natural então é sair para a night, para dançar, conhecer pessoas, ouvir elogios e fantasiar que alguém gosta de mim. Digo fantasiar, pois nas baladas tudo é muito fast e as intenções não parecem e provavelmente não são muito sólidas.


Logo depois que me separei, entrei na fase das baladas. Gente, eu parecia a Lilian Cabral no seriado Divã 20 anos mais jovem, rs... O problema é que enjoa, aí, ficar sem ter o que fazer, ajuda a carência a aumentar e a amiga tristeza, aparece à porta imediatamente. Difícil...


Vou contar minha aventura num pub estilo anos 80 com minha irmã e com minha amiga. Eu estava satisfeitíssima, animada e disposta a me divertir independente de qualquer coisa. O lugar era aconchegante, a música boa e a bebida barata. Eu estava me regulando para não dançar, uma vez que estou me recuperando de uma cirurgia na bexiga.


Vindo sei lá de onde, se aproximou de mim um homem que podia não ser tão estranho, mas se mostrou um horror. O cara começou um papo nada a ver com a seguinte frase: sou juiz. Foi uma espécie de carteirada no chaveco. Pode? Deve ser uma nova modalidade de carteirada aqui em Brasília. Rs... Gente, a criatura passou a a noite toda me enchendo com, sou juiz, meu motorista te leva para casa, moro num bairro nobre e blá, blá, blá. Fiquei pensando: este homem não está com nada; será que ele não consegue dizer nada romântico? Aí o infeliz, que não tinha muitos atrativos físicos, pior ainda relacionais, disse como se fosse o segredo para se conquistar uma mulher: Vc é a mulher da minha vida! Quero me casar e ter filhos com vc. Ele devia ter consumido alguma substância pesada, só podia ser isso, rs. Olhei para ele e gastei meu latim: sinto muito, mas não pretendo me casar e nem ter filhos. E outra coisa: parabéns por ser juiz, mas o coração de uma mulher se conquista com carinho. O meu coração será de quem atravessar o jardim e escalar minha janela como fez Romeu com Julieta. O cara insistiu tanto que me irritou e falei isso a ele. Provavelmente nem me escutou, mas falei o que penso. Piorou? Alguém me pergunte. Sim, os amigos dele começaram a mostrar os coldres das armas, aí, me revoltei e sumi da visão deles com minha irmã e amiga. Tudo bem que estatisticamente o Romeu não estaria naquele lugar, mas detesto grosseria e como ele me provocou, ouviu o que penso sobre homens grosseiros. Rs .... Foi grosseiro comigo, morreu no meu conceito.


Essa vida de solteira não é fácil, rs... A carência não é fácil... Às vezes, desejo somente ouvir algumas simples palavras como: eu gosto de vc e eu penso em vc. Mesmo que sejam mentira, rs...
Beijos a todas.